Sábado de prevenção ao câncer bucal

Sábado de prevenção ao câncer bucal

Linha de apoio
Parceria oportunizou 300 exames gratuitos no Espaço Albano Hartz
Publicado em 25/05/2019 - Editado em 29/05/2019
Secretário Naasom participou da abertura do Dia D na manhã deste sábado
Crédito
Lu Freitas

Os hamburguenses tiveram uma oportunidade especial para prevenir e saber mais sobre o câncer bucal. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e a Liga Feminina de Combate ao Câncer (LFCC) promoveram neste sábado, 25, o Dia D da Saúde Bucal, onde foram oferecidos 300 atendimentos gratuitos no Espaço Albano Hartz, no Calçadão Osvaldo Cruz, no Centro.

“Hoje, completamos 22 anos de uma grande parceira (entre SMS, Ufrgs e LFCC). Juntos estamos lutando pela saúde da comunidade de novo Hamburgo. A prevenção é o único método que podemos utilizar e lutar por ele para alcançar qualidade de vida do cidadão da nossa comunidade. É uma grande honra para liga participar!”, falou a administradora da LFCC, Teonísia Reichert.

Os atendimentos foram realizados por uma equipe formada por professores e pós-graduandos da Faculdade de Odontologia da Ufrgs. “É uma graça podermos continuar com esta atividade por 22 anos. Nós temos hoje um conjunto de pós-graduandos, muitos desses passaram por aqui como alunos, hoje, são professores, muitos deles com atividades na Secretaria de Saúde. Isto mostra que a construção do saber, a construção da formação, é um processo que transcende pessoas, transcende governo, transcende política. Agradeço poder estar aqui nestes 22 anos”, comentou o professor da Faculdade de Odontologia da Ufrgs, Pantelis Varvaki Rados.

Os atendimentos iniciaram por volta das 09h e ocorreram por ordem de chegada. A ação integra a Semana Municipal de Prevenção ao Câncer Bucal, instituída pela Lei Municipal 2973/2016, como parte ainda do Maio Vermelho, escolhido como mês para intensificar as propostas de prevenção e diagnóstico precoce da doença.

“Eu quero engrandecer muito este ato. Porque são estas iniciativas que conseguem dar para nós, profissionais da área da saúde, e principalmente, gestores púbicos, a oportunidade de oferecer serviços de qualidade a estas pessoas que estão aqui e que são quem mais precisam. E investir em prevenção hoje, sempre foi, mas hoje ainda mais com esta escassez de recursos, é nós podermos oferecer para as pessoas a oportunidade de um diagnóstico precoce ou ainda a tranquilidade de poder desenvolve a sua vida sabendo que está saudável e que está tudo bem. Muito obrigado a todos vocês. Este projeto é construído a muitas mãos. É isso que eu quero enaltecer neste sábado”, ressaltou o secretário municipal de Saúde, Naasom Luciano. “Um profundo agradecimento em nome da cidade e das pessoas de Novo Hamburgo. O que nós estamos fazendo aqui hoje não é só abrir bocas e olhar para dentro destas bocas, mas é também abrir o nosso coração e oferecer o nosso amor ao próximo através de um trabalho voluntário e de excelência”, complementou.

No Dia D da Saúde Bucal todos os exames que apresentaram algum tipo de alteração serão direcionados para tratamento.

Também participaram do evento o presidente da Associação Brasileira de Odontologia (ABO), Mateus Claudy, a coordenado do departamento de Educacional da ABO, Aline Pilger, o coordenador da Saúde Bucal da SMS, o cirurgião-dentista Darlan Rodrigues Lima, e Iara Virgínia da Silva, da Liga Feminina de Combate ao Câncer.

Sobre o câncer de boca

O câncer de boca é um tumor maligno, atinge as estruturas da boca, como gengivas, bochechas, céu da boca, língua (especialmente as bordas), a região embaixo da língua e os lábios. Também conhecido como câncer de lábio e cavidade oral, é um tumor que atinge mais comumente homens acima dos 40 anos, sendo o quarto tipo de tumor mais frequente entre o sexo masculino.

De acordo com levantamento do Instituto Nacional do Câncer (Inca), a estimativa é de que tenham surgidos 14700 casos em 2018, sendo 11200 de homens e 3500 mulheres. O instituto também faz aqui um alerta sobre os fatores que aumentam o risco do câncer de boca:

• Tabagismo: Quem fuma cigarro ou utiliza outros produtos derivados do tabaco, como cigarro de palha, de Bali, de cravo ou kreteks, fumo de rolo, tabaco mascado, charutos, cachimbos e narguilé, entre outros, tem risco muito maior de desenvolver câncer de boca e de faringe do que não fumantes. Quanto maior o número de cigarros fumados, maior o risco de câncer.

• Consumo regular de bebidas alcoólicas.

• Exposição ao sol sem proteção representa risco importante para o câncer de lábios.

• Excesso de gordura corporal aumenta o risco de câncer de boca.

• Exposição a óleo de corte, amianto, poeira de madeira, poeira de couro, poeira de cimento, de cereais, têxtil e couro, amianto, formaldeído, sílica, fuligem de carvão, solventes orgânicos e agrotóxico está associada ao desenvolvimento de câncer de boca. Os trabalhadores da agricultura e criação de animais, indústria têxtil, de couro, metalúrgica, borracha, construção civil, oficina mecânica, fundição, mineração de carvão, assim como profissionais cabeleireiros, carpinteiros, encanadores, instaladores de carpete, moldadores e modeladores de vidro, oleiros, açougueiros, barbeiros, mineiros, canteiros, pintores e mecânicos de automóveis podem apresentar risco aumentado de desenvolvimento da doença.

• Infecção pelo vírus HPV está relacionado a alguns casos de câncer de orofaringe.

Como prevenir?

• Não fumar

• Evitar o consumo de bebidas alcoólicas

• Ter alimentação rica em frutas verduras e legumes

• Manter boa higiene bucal

• Usar preservativo (camisinha) na prática do sexo oral

Sinais e sintomas

Os principais sinais que devem ser observados são:

• Lesões (feridas) na cavidade oral ou nos lábios que não cicatrizam por mais de 15 dias, que podem apresentar sangramentos e estejam crescendo.

• Manchas/placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca ou bochechas

• Nódulos (caroços) no pescoço

• Rouquidão persistente

Nos casos mais avançados observa-se:

• Dificuldade de mastigação e de engolir

• Dificuldade na fala

• Sensação de que há algo preso na garganta

• Dificuldade para movimentar a língua

Fique atento a esses sinais e a mudanças na coloração ou aspecto da sua boca. No caso de anormalidades, procure um profissional de saúde.