Projeto da Comusa transformará o Parque Floresta Imperial em centro de educação ambiental

Projeto da Comusa transformará o Parque Floresta Imperial em centro de educação ambiental

Linha de apoio
Iniciativa irá ampliar as ações com foco nas escolas da cidade
Publicado em 25/06/2019 - Editado em 27/06/2019
O Parque Floresta Imperial fica na Avenida Cel. Travassos, 203 - Bairro Rondônia
Crédito
Divulgação

Um dos mais belos espaços verdes de Novo Hamburgo irá se tornar um espaço de educação para o meio ambiente. O Parque Floresta Imperial passará a abrigar o setor Socioambiental da Comusa Serviços de Água e Esgoto. Com isso, a autarquia utilizará os 7,5 hectares para trabalhar as questões ambientais com crianças da rede de ensino da cidade. A expectativa é que a mudança esteja completa nos próximos 90 dias.

O setor Socioambiental da Comusa é o responsável pelo trabalho de relacionamento com a comunidade. As equipes também mantêm ações contínuas de ensino para a preservação do meio ambiente. Os projetos incluem palestras e projetos regulares, desenvolvidos em diferentes escolas da cidade. “O cuidado com o meio ambiente é de longo prazo e precisa começar ainda na escola”, explica o diretor-geral da Comusa, Márcio Lüders.

A partir da inserção no Parque Floresta Imperial as ações socioambientais da Comusa ganham um amplo espaço verde para receber as escolas. “A Comusa tem um compromisso com a educação para a preservação dos nossos recursos naturais. O parque é um espaço privilegiado para desenvolvermos essas ações, aproximando as crianças da natureza”, reforça Lüders.

MELHORIAS - A Comusa tem buscado parcerias para realizar melhorias no Floresta Imperial. A empresa Car House Toyota fez a doação da pintura dos brinquedos instalados no parque, além do plantio de árvores. O objetivo da autarquia agora é encontrar parceiros para formulação de um projeto de restauro da casa histórica existente no parque. “Queremos ter um projeto bem montado para buscarmos verbas federais para realizar a revitalização desse patrimônio histórico”, reforça o diretor-geral.