Estudantes das oficinas do PDMI preparam a Feirarte

Estudantes das oficinas do PDMI preparam a Feirarte

Linha de apoio
Feira de arte será realizada dias 8 e 9 de outubro e tem como tema a prevenção à violência
Publicado em 18/09/2018 - Editado em 19/09/2018
Feirarte ocorre entre os dias 08 e 9 de outubro na Asbem
Crédito
Betina Ludwig

Os alunos das oficinas de cenografia e comércio e serviços do Programa de Desenvolvimento Municipal Integrado (PDMI) da Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo, uniram-se para planejar a Feirarte, o principal evento da Associação do Bem Estar da Criança e do Adolescente (Asbem) que ocorre no próximo mês. A feira que tem este ano como tema a Prevenção à Violência será realizada nos dias 8 e 9 de outubro. Além da exposição de trabalhos, a programação contará com palestras e todo o espaço será organizado pelos participantes dos projetos.

A Feirarte integra o calendário anual da Asbem e neste ano os próprios alunos, além de desenvolverem a capacidade da pesquisa, receberam a missão de pensar o espaço, fugindo dos modelos tradicionais de feiras científicas. A instrutora da oficina de cenografia Gustieli Fistaroli destacou que durante as aulas os jovens poderão desenvolver a criatividade. “O intuito é despertar o lado criativo nos alunos. A partir disso, eles mesmos desenvolvem o projeto de pesquisa até a forma em que vão expor. Por isso, precisam por no papel as decisões, para não ficar só no campo das ideias. É importante, que eles sejam estimulados a criar. Eles precisam entender que a inovação também faz parte do processo”, disse.

A diretora da Asbem, Suzana Schütz, ressaltou que a feira é uma oportunidade para os participantes se expressarem. “A Feirarte é um momento dedicado para eles porque é quando eles conseguem mostrar quem eles são. Além disso, a feira é uma forma de valorizar o jovem que participa das oficinas e mostrar de forma dinâmica aquilo que eles têm produzido no projeto. Este ano também vamos selecionar um desenho para ser o convite do evento. O intuito tanto dos projetos quanto da feira é mostrar para esse jovem que ele pode ter um futuro próspero”, enfatizou.

A estudante Andriely Paola Lima Acosta, 17 anos, escolheu como tema de seu projeto a defesa pessoal. Para ela, a temática não está relacionada somente a se defender da violência. “É importante termos a noção que se defender não está ligado somente com a questão física, mas também com a parte psicológica, por isso o interesse pelo tema. As oficinas nos proporcionam a ligar a questão de comércio que é vender ou atender com a parte de organizar conforme o contexto do produto, que é o que aprendemos em cenografia”, falou.

Já para a participante Gisele Szczepanick, 20 anos, os projetos significam uma oportunidade no mercado de trabalho. “Aqui tenho a oportunidade de me qualificar e isso vai me diferenciar dos demais que buscam uma oportunidade. É importante que os jovens tenham espaços como este, para criar, aprender e principalmente se qualificar”, finalizou.