Assinado termo para gestão do Centro de Reabilitação

Assinado termo para gestão do Centro de Reabilitação

Publicado em 12/02/2020 - Editado em 14/02/2020
Prefeita Fátima Daudt reuniu autoridades e imprensa no início da tarde desta quarta-feira
Crédito
Lu Freitas/PMNH

A prefeita de Novo Hamburgo, Fátima Daudt, assinou, nesta quarta-feira, o termo de colaboração com o Grupo Solução em Gestão para gerenciamento e execução das atividades do Centro Especializado em Reabilitação (CER).

Após a assinatura, houve apresentação à imprensa das instalações do local, único porte 4 no Sul do Brasil, envolvendo reabilitação auditiva, física, intelectual e visual. Durante a assinatura, a prefeita lembrou que inicialmente o CER atenderá prioritariamente moradores de Novo Hamburgo e que os trabalhos devem começar em cerca de 30 dias, tão logo sejam concluídos os últimos detalhes do espaço.

O pedido para habilitação do Centro junto ao Ministério da Saúde para ter abrangência regional só pode ser encaminhado após o início do atendimento. "Em respeito aos recursos do nosso município, neste momento o atendimento será prioritário aos hamburguenses", enfatizou Fátima. Com a liberação do governo federal, o local deve atender pacientes de cerca de 50 municípios do Estado. “Esperamos contar com o apoio dos prefeitos e do governo do Estado para que nos ajudem nesta habilitação junto ao Ministério da Saúde”, completou.

A prefeita destacou ainda que a capacidade de atendimento do CER IV será de até 700 pacientes por mês, mas irá começar com menos até a liberação junto ao governo federal. Fátima Daudt enfatizou o comprometimento de toda sua equipe para viabilizar este espaço e a parceira com o Conselho Municipal de Saúde, na pessoa da presidente Diones de Fátima Otero Martins Ayres, que participou do ato. Já a presidente do Grupo Solução em Gestão, Edilene Katucha, apontou o comprometimento da Prefeitura com a infraestrutura do prédio e reforçou o compromisso com a qualidade do trabalho a ser realizado.

O que é o CER IV

O CER é um ponto de atenção ambulatorial especializado em reabilitação, que realiza diagnóstico, tratamento, concessão, adaptação e manutenção de tecnologia assistiva, constituindo-se em referência para a rede de atenção à saúde da pessoa com deficiência, nas modalidades de reabilitação (auditiva, física, intelectual e/ou visual).

Com uma área construída de 1.928 metros quadrados e localizado na Rua Dr. João Daniel Hillebrand, 2.200, bairro Rondônia, é o primeiro no Sul do Brasil (envolvendo os três Estados) nas quatro áreas de reabilitação. No RS há ainda outros CERs , como em Caxias do Sul, Porto Alegre e Osório, todos de até Porte 3. O CER IV de Novo Hamburgo inclui serviços de apoio a pessoas com ostomia e ainda oficinas ortopédicas, além de atendimento a pessoas com transtornos do espectro do autismo.

Investimento

O valor da obra do CER IV em Novo Hamburgo chega a R$ 5,48 milhões, sendo R$ 5 milhões do governo federal e outros R$ 485.803,50 de contrapartida da Prefeitura de Novo Hamburgo. Outros R$ 1,9 milhão vindos do governo federal foram investidos na aquisição de equipamentos.

O atendimento

Os serviços de reabilitação serão realizados durante oito horas por dia, de segunda a sexta-feira, podendo ser ampliado se necessário. Os pacientes serão encaminhados via sistema de saúde. Todo o atendimento será realizado com hora marcada.

Além de receber o atendimento no local para sua reabilitação, o paciente também receberá equipamentos como cadeira de rodas, próteses e aparelhos auditivos totalmente gratuitos.

Há, ainda, consultórios nas quatro áreas de atendimento, salas e equipamentos para reabilitação e cozinha para uso por acompanhantes de pacientes, o prédio contará ainda com importantes inovações. Entre elas, Jardim dos Sentidos (com foco em estímulos sonoros, olfativos e táteis); Caminho Sensorial (com pacientes estimulados a percorrerem descalços determinada área especialmente preparada para isso); e Sala de Atividade Diária (que simula uma residência completa, com fogão, pia, geladeira, cama, para possibilitar a deficientes visuais experimentarem e identificarem utensílios e móveis presentes em suas próprias casas).

Galeria da notícia